realidade-virtual-no-tratamento-de-fobia-social-psicologa-juliana-vieira-itajaipsicologia-itajai-terapia-secao-unicaPsicologia Itajai – Psicoterapia Cognitivo ComportamentalPsicologia Itajai – Psicóloga Juliana Vieira

PSICOLOGIA ITAJAÍ

Será que meu filho tem TDAH ou é levado ou relaxado?

postado em: 25 de março de 2014

postado por: Psicóloga Juliana Vieira

Diagnosticar uma criança com hiperatividade deve ser de forma cuidadosa e por profissionais especializados: psicólogo, psiquiatra ou neuropediatra. Isso se deve pelo fato dessa criança que foi avaliada como hiperativa, precisar de um acompanhamento psicológico e uma atenção dos pais e da escola. Hoje não se usa mais o termo hiperatividade e sim, Transtorno de Déficit de Atenção/Hiperatividade e uma criança mais agitada não é sinônimo que possui esse transtorno. Por volta dos quatro anos de idade é possível perceber alguns comportamentos na criança relacionados ao TDAH, mas antes não, pois ela apresenta comportamentos “hiperativos” próprios do seu desenvolvimento. Porém, com o início da sua vida escolar, fica mais claro a avaliação, devido à criança precisar lidar com regras, disciplinas e outras exigências.  Há três tipos de classificação do TDAH: 1- predomínio de sintomas de atenção; 2- predomínio de sintomas de hiperatividade; 3- predomínio de sintomas de impulsividade. A desatenção é caracterizada pela dificuldade de manter a atenção até mesmo em jogos, a detalhes ou errar por descuido em atividades escolares, esquecer material escolar, aparentar não estar ouvindo perguntas, dificuldade em organização, evitar atividades que requeiram concentração e distrair-se com estímulos.

Já a hiperatividade caracteriza-se pelo balançar as mãos e pés, mexer-se na cadeira, levantar da cadeira constantemente, falar em demasia, dificuldade de realizar de forma silenciosa atividades ou brincadeiras e parecer que está sempre a mil por hora. E a impulsividade caracteriza-se por dar respostas rapidamente mesmo antes da pergunta ter sido terminada, dificuldade em esperar a sua vez, interromper as atividades dos outros frequentemente como se o “mundo fosse acabar”. O transtorno de déficit de atenção/hiperatividade é geralmente um transtorno da infância, mas que pode se estender até a idade adulta, o que consiste em aproximadamente 50% dos casos. As características nos adultos são as seguintes:
a) déficit de atenção: a pessoa distrai-se com facilidade, comete erros no trabalho, é desorganizada, esquecida, perde seus objetos pessoais, não presta atenção quando lhe dirigem a palavra; b) hiperatividade motora: agitação ou inquietação constantes; c) variação brusca de humor; d) impulsividade: agir sem pensar.
Se o diagnóstico dado por um profissional for TDAH, não impede que a criança ou adulto tenham uma vida normal. Atitudes de compreensão e orientação por parte dos pais auxiliam as crianças com TDA/H, bem como os tratamentos através de psicoterapia, medicamentos e prática de atividade física. Como ajudar?
Ter uma rotina com horários; dar instruções uma de cada vez de forma clara e objetiva; elogiar quando a criança tiver um comportamento adequado; criar limites respeitados por toda a família, entre outros. Hiperativo, levado ou relaxado? Fique atento!

 


Psicóloga Juliana Vieira

Psicóloga Juliana Vieira Juliana Vieira Almeida Silva é psicóloga formada pela Universidade do Vale do Itajaí desde 2001 e possui formação em Terapia Cognitiva-Comportamental. Doutora em Psicologia (UFSC) atua nas seguintes áreas: Psicoterapia Individual e Psicoterapia de Grupo, Psicoterapia Familiar e de Casal, Orientação Profissional, Aconselhamento, Diagnóstico para crianças, adolescentes e adultos. Tem vários artigos publicados na área da Psicologia e Administração. Além de Psicóloga Clínica, realiza atividades na área da Psicologia Organizacional: consultoria (Recrutamento e Seleção; Treinamento e Desenvolvimento, Plano de Cargos e Salários, entre outros) e palestras. Atualmente é docente em Cursos de Psicologia e Administração, bem como em pós-graduações.


COMPARTILHE COM SEUS AMIGOS!